Quanto ganha um Jovem Aprendiz? Salário, inscrições e direitos

Uma das dúvidas dos estudantes que buscam a primeira oportunidade no mercado de trabalho é: quanto ganha um Jovem Aprendiz? Se você também se pergunta sobre isso, fique tranquilo, pois vamos te explicar como funciona o programa e quanto ganha um Jovem Aprendiz.

Antes de tudo é importante saber mais sobre o Jovem Aprendiz, que nada mais é do que um programa do governo federal que auxilia jovens de 14 a 24 anos a encontrarem seu primeiro emprego. Além da faixa etária, o projeto também exige que os candidatos mantenham a frequência escolar em dia. 

Com o Jovem Aprendiz, os estudantes têm a chance de adquirirem experiência profissional e as empresas ganham muito com isso, já que estão desenvolvendo novos talentos. Ao participar se tornar um Jovem Aprendiz, você terá um contrato de aprendizagem registrado na Carteira de Trabalho e na Previdência Social (CTPS).

Já que o contrato é registrado na carteira de trabalho, o aprendiz contribui com a Previdência Social. Portanto, tem direito ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e o tempo que estiver contratado conta para a aposentadoria.

Mas esse contrato não deve ultrapassar o prazo de dois anos. Ou seja, o jovem pode ficar até dois anos em uma empresa adquirindo experiência. Depois, é necessário buscar uma nova oportunidade como Jovem Aprendiz, que também dura o mesmo prazo da anterior, a não ser que a empresa queira contratá-lo efetivamente. 

O Jovem Aprendiz tem direito a salário mínimo, descanso semanal remunerado e vale-transporte. Além disso, para aprendizes de até 18 anos, as férias devem coincidir com o período de férias escolares. 

De acordo com a Lei do Aprendiz, todos os estabelecimentos têm a obrigação de empregar um número de jovens aprendizes que corresponda de 5% a 15% do total de seus funcionários. As funções do Jovem Aprendiz variam de acordo com cada empresa, mas sempre no âmbito do aprendizado. 

Quanto ganha um Jovem Aprendiz

Salário e direitos do Jovem Aprendiz

O Jovem Aprendiz deve receber, pelo menos, o salário mínimo por hora, vale-transporte, 13º e férias, que devem coincidir com o período de férias escolares. Além disso, o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) tem a taxa reduzida de 2%.

A jornada de trabalho de um aprendiz em ensino fundamental não deve ultrapassar de seis horas diárias. Para os aprendizes que completaram o ensino médio, é permitida jornada diária de até oito horas, desde que sejam incluídas atividades teóricas, que estão previstas no contrato e no programa de aprendizagem.

No cálculo da jornada deve estar computado o tempo de deslocamento entre os locais de teoria e de prática. E mais: jovem aprendiz não pode fazer hora extra, compensar hora e nem realizar trabalho noturno, entre 22h e 5h. Dos 5 dias da semana, um será para o curso profissionalizante. 

Como participar do Jovem Aprendiz 

Existem duas principais plataformas para realizar as inscrições para o Jovem Aprendiz. Nas regiões Sul do país – Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná – o cadastro pode ser feito pelo Gerar.

Nas demais localidades do Brasil, os candidatos devem procurar o CIEE. Mas quem mora do Sul também pode se inscrever no Centro de Integração Empresa-Escola. As inscrições são feita pela internet, no site das instituições, por telefone, ou presencialmente. 

Inscrições pelo Gerar:

  • Acesse o site do Gerar;
  • Escolha o programa Aprendiz Legal;
  • Insira seu CPF;
  • Nome completo;
  • Gênero;
  • Data de nascimento;
  • Cor;
  • Altura.

Pronto! Você já se cadastrou no Aprendiz Legal do Gerar. Após, envie todos os documentos solicitados pela instituição e encontre sua vaga no portal.

Inscrições pelo CIEE:

  • Acesso o site do CIEE;
  • Insira todos os seus dados pessoais pedidos;
  • Insira seu endereço completo;
  • Conclua o cadastro.

Agora você já pode pesquisar as vagas no site do CIEE, se candidatar e se preparar para o processo seletivo. Boa sorte!

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Luterana do Brasil de Canoas/RS.

Deixe seu comentário