Minha Casa Minha Vida possui 6 meses de parcelas pausadas: entenda!

Foi divulgado no dia de hoje (02) que o governo estendeu pelo período de mais seis meses o pagamento das parcelas do crédito contratado por meio de programas habitacionais que são financiados pelo FGTS. Essa decisão foi aprovada pelo então conselho curador do Fundo.

Serão suspensas as parcelas do financiamento contratados pelas pessoas físicas que tenham renda de até R$4 mil por mês dentro do programa Minha Casa Minha Vida, além daquelas em operações como carta de crédito individual, apoio à produção de habitações e por fim, a carta de crédito associativo.

Essa pausa na cobrança das prestações do programa já tinha sido anunciada há algum tempo pela Caixa, porém, os beneficiários que estão na faixa 1 do programa, não tinham a suspensão.

Essa suspensão foi pedida pelos agentes financeiros e segundo informações, deverá ser responsável por 3 bilhões de reais em pagamentos que estão congelados. Os pagamentos das parcelas que estão canceladas serão distribuídos no restante do tempo de contrato, contando a partir do mês de janeiro do ano que vem.

Caixa realiza o pagamento do FGTS de R$1045 dividido em 12 lotes

Caixa realiza o pagamento do FGTS de R$1045 dividido em 12 lotes

O pagamento dos 12 lotes do FGTS – Fundo de Garantia de Tempo de Serviço -, conhecido em sua modalidade emergencial já foi liberado. Esse depósito já foi feito para aqueles que nasceram entre janeiro até dezembro.

Esse valores já foram pagos diretamente nas poupanças digitais que estão abertas na Caixa. Já na conta, o trabalhador pode fazer diversas movimentações, seja para pagar boletos, fazer compras online, sacar ou diversas possibilidades.

Calendário de pagamento encerrado: veja melhor!

  • 29 de junho: nascidos em janeiro
  • 6 de julho: nascidos em fevereiro
  • 13 de julho: nascidos em março
  • 20 de julho: nascidos em abril
  • 27 de julho: nascidos em maio
  • 3 de agosto: nascidos em junho
  • 10 de agosto: nascidos em julho
  • 24 de agosto: nascidos em agosto
  • 31 de agosto: nascidos em setembro
  • 8 de setembro: nascidos em outubro
  • 14 de setembro: nascidos em novembro
  • 21 de setembro: nascidos em dezembro

Calendário de saque e transferência: acompanhe

  • 25 de julho: nascidos em janeiro
  • 8 de agosto: nascidos em fevereiro
  • 22 de agosto: nascidos em março
  • 3 de outubro: nascidos em junho
  • 5 de setembro: nascidos em abril
  • 19 de setembro: nascidos em maio
  • 17 de outubro: nascidos em julho
  • 17 de outubro: nascidos em agosto
  • 31 de outubro: nascidos em setembro
  • 31 de outubro: nascidos em outubro
  • 14 de novembro: nascidos em novembro
  • 14 de novembro: nascidos em dezembro

Como funcionará o saque emergencial do FGTS?

A Caixa liberou faz pouco tempo o calendário para pagamentos de R$1045 correspondente ao FGTS. Os depósitos já começaram a serem feitos no dia 29 de junho e estarão válidos até o dia 21 de setembro, variando de acordo com a data de nascimento dos trabalhadores. Mas, será preciso esperar algumas semanas ou até meses para fazer o saque do mesmo.

O Governo já anunciou no mês de abril que faria a liberação de um saque emergencial do FGTS, de forma a apoiar os trabalhadores durante a crise que foi ocasionada pelo novo coronavírus.

As pessoas que possuem direito ao dinheiro são os trabalhadores com contas ativas (designada pelo emprego atual), ou também inativas (correspondente aos empregos anteriores) do FGTS. A data em que o dinheiro cairá na poupança digital vai variar de acordo com a data de nascimento do trabalhador.

Medidas do Governo em relação ao Coronavírus

Muitas medidas foram adotadas pelo Governo quando a crise do Coronavírus atingiu todo o Brasil, algumas já estão sendo finalizadas, enquanto algumas irão colocar algumas pessoas em parcelas longas com o governo ou com demais órgãos.

O auxílio emergencial foi uma das ações adotadas, com a distribuição de R$600 por família, de forma a suprir o salário de pessoas que foram mandadas embora, que são trabalhadoras autônomas e diversas possibilidades. Ademais, esse valor foi separado em parcelas menores de R$300, de forma a diminuir a sua potencialidade nos cofres públicos.

Muitas outras formas de empréstimo foram introduzidas, principalmente para os empresários brasileiros, que se viram em uma grande “sinuca de bico” quando o assunto foi pagar seus funcionários e continuar com o negócio funcionando. Foram feitas reduções de juros e aumento de parcelas em sua maioria.

Agora que você já sabe como funcionará a suspensão das parcelas do Minha Casa Minha Vida, vale ficar de olho em demais atualizações em nosso site, não perca nenhuma notícia!

Avatar
Jornalista formada pela PUCPR viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Deixe seu comentário