Lista de medicamentos suspensos Anvisa 2020: Veja aqui quais são eles!

No Brasil quem realiza toda a fiscalização de medicamentos é a Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária -, além de muitos outros processos médicos, registros e tudo que envolve saúde no geral.

O Ministério da Saúde nas últimas semanas não renovou alguns contratos com determinados laboratórios que fazem medicamentos. Muitos deles eram distribuídos de forma gratuita para a população, mas, cerca de 19 remédios não serão mais entregues no SUS, o que deixará milhares de pacientes sem receber o tratamento necessário.

Alguns dos medicamentos são produzidos pelos laboratórios BioManguinhos, Butantã, Bahiafarma, Tecpar, Farmanguinhos e Fu. Os laboratórios citados anteriormente são conhecidos por fazerem uma parceria com o ministério, fornecendo os mesmos com preços reduzidos em até 30% em relação aos demais produtores.

Lista de medicamentos suspensos Anvisa 2020: Veja aqui quais são eles!

As associações representantes dos laboratórios estimam que essa ação terá uma perda anual de no mínimo 1 bilhão de reais, sem falar no risco da falta dos medicamentos para os usuários.

Conforme nota publicada no site oficial do Ministério da Saúde, foi confirmado que a fabricação dos 19 medicamentos está na fase de suspensão, devido a recomendação da Controladoria-Geral da União e também pelo Tribunal de Contas.

Conforme o Ministério reiterou, isso acontece devido a várias decisões judiciais e não correspondência com o cronograma, além de ser uma medida regular que está prevista no marco regulatória e é realizado de forma natural.

Em nota, também foi esclarecido que para que o abastecimento da rede continue, foi realizada a compra dos produtos em outros meios previstos na legislação, visto que muitos dos medicamentos não chegarão nem a serem fornecidos ainda.

O presidente da Bahiafarma e da Associação dos Laboratórios Oficiais do Brasil (ALFOB), Ronaldo Dias, disse para o Jornal O Estado de São Paulo que os laboratórios já colocaram as parcerias como suspendidas.

Mas, é válido destacar que não há risco para a população, visto que esse período de suspensão é uma oportunidade para que os laboratórios possam apresentar medidas para renovar o cronograma de atividades e ações.

Dias também destaca que os prejuízos não para por aí: quando os laboratórios assinam esses contratos, realizam também demais investimentos para suportar a grande demanda e produção dos remédios, além de que costumam custar cerca de R$1 bilhão quando produzidos fora dos laboratórios públicos, o que necessitará de uma grande quantidade de dinheiro não prevista.

Muitos dos medicamentos que são vendidos com valores mais em conta, são utilizados para tratamentos de doenças complexas, como câncer, linfoma e muitos outros.

Ainda conforme Dias diz, quando acontece essa interrupção na produção dos mesmos, diminui também as chances de que laboratórios locais possam dominar a tecnologia para produzir os mesmos remédios com valores ainda menores.

Quais foram os medicamentos suspensos?

Veja abaixo quais são os medicamentos que terão sua distribuição gratuita interrompida.

 

  1. Adalimumabe, Solução Injetável (40mg/0,8mL), produzido por TECPAR;
  2. Adalimumabe, Solução Injetável (40mg/0,8mL), produzido por Butantan;
  3. Bevacizumabe, Solução injetável (25mg/mL), produzido por TECPAR;
  4. Etanercepte, Solução injetável (25mg; 50mg), produzido por TECPAR;
  5. Everolimo, Comprimido (0,5mg; 0,75mg; 1mg), produzido por Farmanguinhos;
  6. Gosserrelina, Implante Subcutâneo (3,6mg; 10,8mg), produzido por FURP;
  7. Infliximabe, Pó para solução injetável frasco com 10mL (100mg), produzido por TECPAR;
  8. Insulina (NPH e Regular), Suspensão injetável (100 UI/mL), produzido por FUNED;
  9. Leuprorrelina, Pó para suspensão injetável (3,75mg; 11,25mg), produzido por FURP;
  10. Rituximabe, Solução injetável frasco com 50mL (10mg/mL), produzido por TECPAR;
  11. Sofosbuvir, Comprimido revestido (400mg), produzido por Farmanguinhos;
  12. Trastuzumabe, Pó para solução injetável (150mg; 440mg), produzido por Butantan;
  13. Cabergolina, Comprimido (0,5mg), produzido por Bahiafarma Farmanguinhos;
  14. Insulina (NPH e Regular), Suspensão injetável (100 UI/mL), produzido por Bahiafarma;
  15. Pramipexol, Comprimido (0,125mg; 0,25mg; 1mg), produzido por Farmanguinhos;
  16. Sevelâmer, Comprimido (800mg), produzido por Bahiafarma Farmanguinhos;
  17. Trastuzumabe, Pó para solução injetável (150mg), produzido por TECPAR;
  18. Vacina Tetraviral, Pó para solução injetável, produzido por BioManguinhos;
  19. Alfataliglicerase, Pó para solução injetável (200 U), produzido por BioManguinhos.

Agora que você já sabe quais são os medicamentos suspensos pela Anvisa, é necessário procurar o médico mais próximo de você, caso queira garantir e já se preparar com outro medicamento que possa sanar os problemas de determinada doença, caso possua.

Existem muitos remédios no mercado desenvolvidos para tratar a mesma doença, portanto, não é necessário desesperado, basta mudar a fórmula utilizada, mas lembre-se de procurar um profissional especializado para fazer essa alteração.

Avatar
Jornalista formada pela PUCPR viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Deixe seu comentário