Segunda via do IPVA: como emitir e pagar o boleto

Todos os anos os é preciso se preparar para todos os pagamentos de impostos que são incluídos para os brasileiros, seja de carros, de casas e de todos os outros possíveis bens que se existem.

Um dos mais conhecidos é o IPVA, sua sigla quer dizer Imposto Predial de Veículo Automotor, que é pago anualmente e pode ser dividido em algumas parcelas específicas.

Quer saber como emitir a segunda via desse imposto e não correr o risco de ter que arcar com demais dívidas e taxas? Veja aqui essa e demais informações, ficando bem informado.

Como tirar a segunda via do IPVA? Veja aqui e saiba mais!

Primeiramente, é preciso que você acesse o site do Detran do seu estado, é por lá que você resolverá demais assuntos relacionados ao seu veículo, Carteira Nacional de Habilitação ou multas, por exemplo.

Veja por exemplo como tirar sua segunda via do IPVA pelo site do Detran RJ.

  1. Acesse o site oficial do Detran RJ, que é http://www.detran.rj.gov.br/;
  2. Role a página um pouco para baixo e selecione a opção em “Veículo” e clique em “IPVA – Orientações”;
    Como tirar a segunda via do IPVA
  3. Na próxima página, clique na opção “IPVA” disponível conforme imagem abaixo;
  4. Agora clique na opção “Emissão de guia de pagamento IPVA – GRD”;
    Como tirar a segunda via do IPVA
  5. Por fim, preencha o seu número de Renavam e o código de segurança, depois em “Continuar”.
    Como tirar a segunda via do IPVA

Basicamente, a maneira de tirar a sua segunda via é parecida em todos os sites, geralmente precisando de seus dados pessoais ou o Renavam de seu carro, portanto, tenha os mesmos próximos na hora de fazer consulta.

Formas de pagamento do IPVA

O valor do imposto é cobrado de acordo com a alíquota do estado, que pode variar entre 2% até 4%, portanto, verifique qual é o correspondente ao local que mora. O valor cobrado é em cima do preço total do carro na tabela FIPE.

Então se seu carro tem o preço de venda de R$20 mil e a alíquota do seu estado for de 2%, o preço do IPVA será de R$400,00. Esse valor geralmente pode ser dividido em até três vezes.

Existem alguns estados em que há um valor alto para pagamentos à vista, que pode ser uma ótima ideia caso você tenha dinheiro em caixa. Alguns desses descontos podem chegar até 10%, portanto, verifique previamente como funciona a forma de pagamento do local que mora.

O pagamento do seu IPVA também depende do estado em que mora: há estados em que o carnê é enviado no endereço cadastrado do veículo, enquanto em outras, é necessário fazer a emissão por meio do Detran do seu estado.

Por isso, é importante verificar de forma prévia quais são as formas de envio do seu município, visto que não serão aceitas desculpas para o não pagamento do mesmo.

O pagamento do IPVA pode ser feito em terminais de autoatendimento, em guichês de caixa, pela internet, por meio de débito agendado ou também por canais específicos de instituições financeiras, além de casas lotéricas.

O que acontece se eu não fizer o pagamento do IPVA?

O que acontece se eu não fizer o pagamento do IPVA?

O não pagamento do IPVA não causa multa especificamente, porém, sem o pagamento do mesmo, não terá como realizar o licenciamento, que neste caso, ocasiona multa e demais consequências negativas.

Por exemplo, caso não se tenha o CRLV pago, o proprietário do veículo terá seu veículo multado, com penalidade gravíssima, valor super alto de multa, além de que o caror poderá ser apreendido.

Se o carro for preso, o proprietário terá que fazer o pagamento de todos os débitos existentes, além dos dias em que o veículo estiver parado no pátio do Detran.

Enquanto as dívidas não forem quitadas, será cobrado o acréscimo moratório de 0,33% por dia de atraso, atingindo até o limite de 20%, com acréscimo mensal de taxa Selic ou 1% – sendo escolhido aquele for maior.

Caso essas multas sejam acumuladas, há o risco de ser inscrito na dívida ativa, onde a multa passará de 20% para 40%, sendo cobrados também despesas jurídicas e demais honorários de advogado.

Portanto, fique atento para não atrasar o pagamento do IPVA, visto que como já demonstrado, as consequências são bem grandes e podem ocasionar muita dor de cabeça. Lembre-se de realizar a arrecadação do pagamento no ano anterior, visto que conforme for programado, será muito mais fácil quitar possíveis dívidas e não ter demais problemas.

Avatar
Jornalista formada pela PUCPR viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Deixe seu comentário