Como investir com pouco? Veja dicas para fazer seu dinheiro render!

Muitas pessoas se perguntam: Será que é possível investir com pouco? A resposta é: sim! 

Não são poucos os investimentos que se podem fazer com apenas 100 reais, ou até menos. Aliás, na prática, ha investimentos quem cabem em todos os bolsos. 

Segundo a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), 58% dos brasileiros não têm nenhum tipo de investimento.

Outro levantamento feito pelo Instituto Axxus, em parceria com a Unicamp e a Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), aponta que 80% dos trabalhadores brasileiros não conseguem poupar.

Mas, se você quer passar a se aventurar no mundos dos investimentos, mesmo com pouco dinheiro, separamos hoje algumas dicas para te ajudar. 

Investir com pouco
Dicas de investimento com pouco dinheiro.

Investir com pouco: por onde começar?

Antes de tudo, é preciso entender como os investimentos funcionam e aplica-los à sua vida financeira. Não há como investir, sem que as finanças pessoais estejam em dia. Isso posto, vamos à escolha dos investimentos. 

Para definir quais investimentos fazer, é preciso ter em mente, primeiro, quais metas quer alcançar, dividindo-às por prazo, sendo de curto, médio e longo prazo. É de suma importância dar destino ao seu dinheiro, ou seja, dar um objetivo claro a ele. Pois, se não, correrá o risco de gastá-lo antes da hora em coisas desnecessárias. 

Metas de curto prazo, pedem uma aplicação em investimentos que permitam a retirada do dinheiro em menos tempo, já as de médio e longo prazo, podem ter retiradas mais demoradas. 

Quais investimentos estão disponíveis no mercado? 

Quem quer investir com pouco, conta com uma gama de opções. Tais como: 

Tesouro Direto 

O Tesouro Direto ou Tesouro Selic são títulos públicos e uma boa opção para quem quer começar a investir com pouco, mas com segurança. Com apenas 30 reais já é possível fazer uma aplicação. 

Na prática, é bem simples investir. Qualquer pessoa com CPF e uma conta em uma corretora de investimentos pode começar. No Tesouro Direto são disponibilizados três tipos de papéis:

  • Selic: o rendimento varia de acordo com a taxa básica de juros da economia.
  • Prefixado: a rentabilidade é definida no momento da aplicação, portanto, prefixada.
  • IPCA: a remuneração é formada pela variação do IPCA no período mais a taxa de juros do momento da compra do título.

Mais informações podem ser obtidas no site oficial do Tesouro Direto.

Fundos de investimento

Apesar de pouco conhecidos, os fundos de investimento são uma aplicação bem acessível.

Os fundos são aplicações de um conjunto de investidores, chamados de cotistas. Eles passam para o gestor a responsabilidade de escolher o conjunto de ativos para se obter retornos positivos nos investimentos. 

Há 4 tipos: 

  • Curto prazo: títulos com vencimento menor do que um ano, o que garante baixo risco e alta liquidez.
  • Renda fixa: aplicação de capitais em títulos de renda fixa, sejam públicos ou privados.
  • Ações: neste caso, são necessários, ao menos 67% dos recursos aplicados na bolsa de valores;
  • Multimercados: misto de investimentos, como ações, renda fixa e imobiliário.

CDB

A sigla pode assustar os investidores de primeira viagem, mas ela quer dizer: Certificado de Depósito Bancário. O CDB nada mais é que um título emitido pelos bancos para captar recursos. Portanto, mais uma opção para investir com pouco.

Na prática, você “empresta” dinheiro aos bancos que, em contrapartida, devolvem a quantia aplicada com uma remuneração, conforme o prazo do vencimento do título.

Ações

Também é possível investir em ações mesmo com pouco dinheiro. 

São dois os caminhos para essa aplicação. Um deles é comprar as ações diretamente, escolhendo uma a uma, tarefa que exige bastante pesquisa. O outro é investir por meio de um fundo de ações.

No primeiro caso, esteja atento e pesquise muito para conhecer a empresa na qual vai investir, o histórico dela, o desempenho do setor no qual ela atua, entre outras variáveis.

No segundo caso, o interessando compra um produto com uma cesta com diferentes papéis e não precisa se preocupar em escolher as ações, por exemplo.

*Dica Bônus: Antes de começar a investir com pouco, como já dito no começo do artigo, é preciso colocar as finanças em ordem. Mas, além disso, é necessário criar o que os especialistas chamam de “Reserva de Emergência”, ou seja, um dinheiro separado para eventuais imprevistos. Essa deve ser a primeira meta de curto prazo para quem está começando a caminhada de investimentos agora. 

Amanda Lino
Jornalista com mais de 7 anos de experiência em redações de rádio, TV e internet. Além de colaboradora da Webgo Content, Amanda também é host do podcast Me Empresta Seus Óculos, que trata sobre cotidiano.

Deixe seu comentário