Imposto Atrasado: O que pode acontecer com empresas que atrasam seus impostos?

Quando lembramos de 2020, sabemos que foi um ano complicado tanto para os trabalhadores, quanto para os empresários, principalmente pela quebra de economia causada pela epidemia do corona vírus.

Muitas dívidas acabaram se acumulando, vários trabalhadores foram mandados embora, além de muitos negócios faliram ou tiveram que modificar totalmente seu modelo de negócio.

Veja abaixo o que pode acontecer com sua empresa caso você esteja com vários impostos atrasados, quais são os cuidados indicados, riscos e muito mais.

Imposto atrasado: consequências para a empresa

Imposto atrasado: consequências para a empresa

Já é de conhecimento que várias companhias começaram o ano devendo, seja dívidas desse ano ou de outras épocas, de forma que não estão conseguindo honrar com todos esses compromissos, sem falar na grande quantidade de impostos do governo que não pararam de chegar.

Deixar de pagar os impostos e demais tributos não é uma opção recomendada, isso porque uma série de problemas serão causados devido a esta ação, principalmente para a empresa, indo desde multas até a falta de possibilidade de distribuir o lucro para os sócios.

É importante lembrar que a base de cálculo para os impostos muda de acordo com qual atividade é exercida, ou até mesmo para o regime tributário de cada empresa.

Mas, a maioria das empresas que não pagam seus impostos são penalizadas em uma multa de 0,33% ao dia de atraso, valor este que pode chegar até 20%.

Caso o atraso no pagamento seja maior do que um mês, além da multa já citada, serão incluídos ainda os juros de mora, que serão cobrados a partir do mês que está por vir da inadimplência.

É importante lembrar que esse cálculo leva em consideração a taxa Selic +1%.

As empresas que não pagam seus impostos nas datas previstas também têm o impedimento de participar de licitações públicas.

Dessa forma, não poderá emitir certidões negativas que são necessárias em caso de licitações, ou no caso de concorrências de grandes empresas.

Outro fator que merece destaque é que cada vez mais com o monitoramento de informações e demais sistemas interligados, fica mais difícil para a empresa executar demais ações como compra, venda e até mesmo outros tipos de transações.

Se o imposto não for pago por muitos meses, a empresa que está devendo sofrerá também com o bloqueio de bens, que vão entrar diretamente como garantia de pagamento ao Fisco.

Processo de empréstimos e ajudas financeiras

Indo além dos problemas que já foram citados anteriormente, o não pagamento desses tributos também pode gerar uma grande dificuldade para conseguir demais empréstimos em instituições financeiras ou bancárias.

Isso acontece porque os bancos não cedem o empréstimo de dinheiro para empresas que estão com o nome sujo com o governo.

Na maioria dos casos, pode valer mais a pena pedir um empréstimo para conseguir deixar os impostos em dia do que ter que arcar com os demais problemas causados pelo não pagamento destes.

Quando falamos em uma situação legal, a chance da empresa de conseguir um empréstimo com uma taxa de juros considerada saudável é bem maior do que quando em situação de devedora.

Além de todos os problemas citados anteriormente, há grandes chances de que a empresa seja acusada de sonegação fiscal, o que é um processo bem diferente do que não pagar os impostos em dia.

Quando falamos sobre o atraso de pagamento, é considerada como uma ilegalidade administrativa, mas, sonegação de impostos é crime conforme a Lei.

Se for comprovada a sonegação, a multa aplicada pode ser de até 225% do valor devido, sem falar na inclusão dos juros da taxa Selic.

Os sócios da empresa também serão responsabilizados de forma criminal por esta sonegação, sendo que seus bens particulares podem ser penhorados e em casos máximos, há a pena de reclusão entre dois até cinco anos.

Quais são as soluções mais indicadas?

Devido a estas razões, fica claro que não fazer o pagamento dos impostos não é algo a se considerar.

Caso sua empresa esteja com problemas financeiros, o mais indicado é procurar um empréstimo antes de deixar com que a situação vire uma bola de neve sem resolução posterior.

É interessante também fazer o planejamento tributário, do qual leva em consideração de qual o regime que a empresa está inserido, procurando por oportunidades legais para conseguir reduzir a carga tributária e em alguns casos, conseguir recuperar os impostos pagos a mais pela mesma.

Avatar
Jornalista formada pela PUCPR viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Deixe seu comentário