Diferença entre DOC e TED – Saiba qual operação usar em cada ocasião com o máximo de vantagens

Na hora de transferir dinheiro para outros bancos, surge a dúvida: qual a melhor opção, DOC ou TED? A resposta depende muito de fatores pessoais como urgência, taxas e valor da transferência. Neste artigo, iremos elucidar os mais comuns questionamentos sobre essas transações para que fique mais fácil decidir qual utilizar em cada ocasião.

O serviço de transferência bancária para o mesmo banco se utiliza da transferência simples que pode ser feita no autoatendimento e até por meio de aplicativos (dependendo do banco). No entanto, quando é para outras instituições bancárias é as únicas opções no TED e DOC. Confira as diferenças entre os dois:

Sobre o DOC

O DOC ou Documento de Crédito é uma modalidade de transferência bancária que possui uma característica própria: ela só pode ser feita com valores abaixo de R$ 4.9999,99. Ou seja, acima desta quantia, a única opção possível é o TED. Seu grande diferencial é que precisa passar pelo sistema de compensação bancária – basicamente o mesmo sistema para cheques – por isso, leva cerca de um dia útil para estar disponível na conta do beneficiário.

Também é preciso levar em conta o horário: se a transação for feita após as 21:59, o valor só será compensado no outro dia. Isso vale também para feriados e fins de semana, que não são considerados dias úteis.

Por exemplo: se a transação for realizada em uma sexta-feira após o horário limite, o valor estará disponível apenas na terça-feira. O motivo da demora, é devido a conferencia dos dados apresentados, o que costuma ser feito à noite pelos bancos.

Sobre o TED

O TED (Transferência Eletrônica Disponível) existe desde 2002. Em seu primeiro ano, o limite mínimo de transferência era de 5 milhões de reais. Com o tempo, este limite foi diminuindo até chegar a R$ 250,00. Neste ano, porém, o limite foi retirado, logo, qualquer valor pode ser creditado em outra conta. Seu grande diferencial é não passar pelo sistema de compensação, o que faz com que o beneficiário tenha o dinheiro disponível em poucos minutos, logo após a autorização e verificação de crédito de quem o transfere.

A transação precisa ser realiza até as 17 horas, caso contrário, ficará pendente para o próximo dia útil.

Taxas e Vantagens

As taxas do DOC e do TED variam de acordo com cada banco, mas costumam não oscilar muito. Grande parte dos clientes bancários optam pelo TED por causa da comodidade e agilidade em efetivar a transação. Já o DOC pode ser uma opção para quem deseja agendar pagamentos para o outro dia, por exemplo, ou quando a taxa for menor. Ambos são procedimentos seguros, garantidos pelo banco. A escolha por um deles será pessoal, levando em consideração a urgência e o fator financeiro. Em caso de dúvidas, o ideal é procurar a instituição bancária e esclarecê-las.

 

O que é necessário ter em mãos na hora da transferência?

Alguns dados são essenciais para realizar a transferência bancária, seja via TED ou DOC. São eles:

  • Nome completo do beneficiário,
  • CPF do beneficiário ou CNPJ
  • Os dados bancários do beneficiário – banco, agência e conta – e o tipo de conta – corrente ou poupança.

No caso de contas poupanças, elas só podem receber transferências mas nunca realizar, isso porque o banco entende que este tipo de conta é destinada apenas para poupar e não para realizar transações. Geralmente, o TED é aceito na hora quando feito em poupanças, mas o DOC pode ter algum problema, dependendo do banco. Neste caso, o dinheiro volta para quem o transferiu. O valor nunca é perdido, já que só é de fato computado se todos os dados estiverem corretos.

Caso a transferência seja feita no caixa convencional, é preciso levar alguns documentos:

  • Cartão do banco, com a devida senha memorizada.
  • RG e CPF caso haja necessidade.
  • Caso a transação seja realizada em caixas eletrônicos, alguns cuidados são importantes:
  • Só peça ajuda a funcionários devidamente identificados.
  • Em caso de falta de auxilio nos caixas eletrônicos, opte pelo caixa tradicional em caso de dúvidas.
  • Confira os dados com o beneficiário e guarde o comprovante da transferência.

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e pós-graduanda em Negócios Digitais. Tem mais de 600 artigos publicados em sites dos mais variados nichos e quatro anos de experiência em marketing digital. Em seus trabalhos, busca usar da informação consciente como um instrumento de impacto positivo na sociedade.

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.