Consórcio: como funciona? Passo a Passo para comprar um carro ou uma casa

Um dos objetivos de muitas pessoas é conseguir comprar um carro próprio, uma casa própria ou demais possibilidades de bens ou de itens para chamar de seu, seja para estabelecer uma família ou para aumentar sua propriedade.

Uma das formas mais conhecidas para quem está começando, é o consórcio, do qual é feito de maneira progressiva e traz uma grande quantidade de vantagens para o investidor.

Não tem nem noção de como funciona esse processo e quer saber? Veja aqui como funciona, quem pode fazer, quais são os cuidados necessários e todas as informações que você possui dúvidas.

Consórcio: como funciona? Veja aqui!

Consórcio: como funciona? Passo a Passo para comprar um carro ou uma casa

O consórcio pode ser definido como uma compra colaborativa, da qual une pessoas que tenham interesse em comprar bens e assim, colocar esse plano em prática. O consórcio surgiu na década de 60 em conjunto com o nascimento da indústria automobilística no Brasil, visto que as pessoas precisavam de crédito para conseguir comprar carros.

Essa foi uma iniciativa dos funcionários do Banco do Brasil, com o principal objetivo de juntar um valor suficiente para a compra dos veículos para aqueles que participassem da arrecadação.

Ou seja, para que o consórcio funcione, é preciso que exista uma administradora, que será a responsável por formar os grupos com pessoas com o mesmo interesse, seja para a compra de imóveis, de bens ou para contratar demais serviços.

Existe uma grande quantidade de tipos de consórcios, sendo que alguns tipos são de imóveis, automóveis, veículos pesados e até mesmo máquinas agrícolas. Há também a possibilidade de se fazer consórcio para viagens, formaturas, cirurgias, graduação e pós graduação.

O Banco Central é o principal órgão que faz a fiscalização das empresas que realizam consórcios, sendo a maior autorizada para a normalização das empresas desse setor, guardando demais interesses e direitos dos grupos de consorciados.

É válido lembrar que quaisquer tipos de contratos entre as administradoras de consórcios e participantes estão resguardados sob a Lei 11.795/2008, garantindo assim a segurança a para quem quer ter segurança na hora de investir um valor alto.

Processo um consórcio

Adesão do plano

Em primeiro lugar, o interessado entra em contato com a administradora que se identificou, escolhendo qual é o plano que possui interesse e que atende bem seus objetivos. É nesse momento que a duração do contrato, o valor da carta de crédito e também o número de parcelas são determinados.

Depois, o participante receberá um número do qual é como se fosse sua “identidade” para ter acesso a todas as assembleias.

Pagamento de parcelas

Depois de decidir o valor de pagamento, ele será parcelado no prazo de pagamento que foi estabelecido no momento do seu contrato. Por mês, os integrantes tem que fazer o pagamento das parcelas, realizando assim o saldo de caixa para que um ou mais consorciados sejam contemplados no grupo naquele mês correspondente.

Assembleia

A primeira assembleia só é realizada assim que a administradora reunir certa quantidade mínima de adesões. Depois que a primeira é feita, elas continuam sendo feitas de forma mensal.

Existem duas formas de ser contemplado na assembleia: por meio do sorteio ou por meio de um lance. É válido lembrar que ao fim do contrato, todos aqueles que estão no grupo, irão receber a tão desejada carta de crédito.

Sorteio

No momento do sorteio, todos os participantes possuem a mesma chance para serem contemplados. Esse sorteio é feito nas assembleias gerais ordinárias, conforme as regras decididas no contrato e conforme os recursos existentes na caixa do grupo.

A quantidade de sorteios realizados irá depender de acordo com cada regra de cada administradora.

Lances

Outra maneira de conseguir a contemplação é por meio dos lances. Quem quiser investir indo além da sorte, é possível recorrer ao lance, seja de forma fixa ou livre. Quando é um lance livre, o participante pode escolher o valor que quer ofertas, enquanto no caso do fixo, a administradora do consórcio estabelecerá um valor em contrato.

Esses lances costumam funcionar como leilões, então, aquele que der o lance mais alto, ganha.

Contemplação

Depois disso, é chegado o tão esperado momento de contemplação, quando é possível usar a carta de crédito. Dessa forma, é possível fazer a aquisição do bem com esse documento em mãos. Ele equivale a um dinheiro à vista, tendo assim maior poder de compra na hora de decidir onde investir.

Ao saber como funciona um consórcio, fica muito mais fácil de se programar, não é mesmo?

Avatar
Jornalista formada pela PUCPR viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Deixe seu comentário